loading...
 
Todos de Jesus -- Igreja Progressista de Cristo - - - - - - - - - - - - - - - -
 
  Início
  Antes de tudo entenda o conceito
  Bíblia e Sexualidade
  Artigos
  => Santos gays?
  => Quem mostra o amor de Jesus?
  => A população glbt e os jesuítas
  => Símbolos GLS
  => Adam & Steve
  => Contrato ou Testamento?
  => Antes de se assumir, algumas orientações
  => O que é um "ex-ex-gay" ?
  => Conheça a cura para a AIDS
  => Os canhotos, a igreja e os homossexuais
  => Conheça a história de "Brenda"
  => Crianças Transgéneres (Superinteressante)
  => Praticando a Justiça
  => Fatores biológicos!
  => Animais gays confundem Darwinistas
  => Maravilhosa Graça
  => Júlio Severo, pregador do preconceito
  => Temática gay nos X-men
  => IPC Entrevista
  => A doença dos preconceituosos
  => Sangue e Preconceito
  => Esta é uma história real
  => As perguntas de Gabriel
  => Livro: Ser gay e cristão é possível
  => Entrevista com o Pr. Kleyton Pessôa
  => 5 mitos sobre homossexuais são derrubados
  => uma pergunta capciosa
  Vídeos
  Notícias
  Humor
  Perguntas Frequentes
  Livros
  Homenageados
  Em que acreditamos
  Fale Conosco
  Ajude nosso ministério
  receba as novidades por e-mail
  Área de Membros
Esta é uma história real
http://willemvitoria.flogbrasil.terra.com.br/1210480034.jpg


 
Esta é uma história real... Eu sou um adolescente de 17 anos de idade, sou homossexual e sou Cristão.
 

Desde muito cedo aprendi que os gays iriam para o inferno. Minha família sempre criticava os homossexuais, diziam que eles eram sem-vergonha e que eles não iriam para o céu e que não aceitariam que nenhum dos filhos deles debandasse para aquele “jeito de ser”.
 
 
Faziam piadinhas sobre gays, julgavam muito, me ensinaram a zombar  dos gays.
Me falavam: “que vergonha os pais destas pessoas devem sentir....” Isso tudo quando eu tinha  7 anos de idade... Imagine minha mente como não estava... adaptei-me ao modo de ser que eles diziam ser o ideal.
 
 
 
Um dia me pego vendo meus irmãos assistindo a um filme pornô... me deparei com aquilo e fiquei observando... não entendia direito o que se passava, mas achei aquele homem pelado tão lindo... na hora que eu senti aquilo fiquei com medo, parei de olhar
e fui saindo da sala onde eles estavam assistindo, fui pro meu quarto, mas depois de uns 15 minutos eu resolvi sair... e lá estavam eles no mesmo lugar assistindo ao filme e eu me sentei, fui assistir e fiquei  pasmo porque eu comecei a sentir que estava ficando
excitado com aquele cara - eu não sabia ao certo o que eu estava sentindo, mas achei tão bom...
 
 
 
Depois disso eu comecei a observar meus irmãos e parei e pensei "meu Deus o que eu estou sentindo?!" Pensei comigo: "isso não é certo, é?" Nem eu mesmo sabia o que era, e eu deixei aquilo lá e sai de casa; não quis mais ficar ali, tive medo do que eu estava sentindo.
 
 

Bem... passados 5 anos... eu já tinha ficado com meio mundo de garotas (ficado sem relações sexuais) e comecei a me pegar sonhando com homens, comecei a ficar com medo. Realmente eu não tinha idéia do que estava acontecendo comigo: me deu muita vontade de conversar com meus pais, mas tive medo da reação deles, pois eu no meu interior sabia o que realmente era, mesmo não querendo aceitar que era o que meus pais tanto odiavam. eu estava me tornando (como eu pensei)...eu não queria...
 
 
 
Aos meus doze anos conheço um amigo ... Loiro, cabelos lisos, meio grande e olhos verdes, um ano mais velho que eu... Nos conhecemos... Durante um ano fomos simplesmente amigos...
 
 

Mas, num dia estávamos na casa dele e ele resolveu colocar um filme pornô pra assistirmos ... e assistindo ao filme comecei a sentir que ele não parava de olhar para mim... achei estranho...  mas não disse nada... depois ele chegou perto de mim e me abraçou: eu fiquei sem reação... me senti tão bem, mas tão bem... que nem pensei em nada só queria ficar abraçado ali. Ele começou a me acariciar e de repente... me beijou!
 
 
 
Eu me afastei, fiquei com medo... pedi pra ele parar com aquilo... ele disse que tudo bem. Depois, ele veio e me abraçou novamente... e depois me beijou de novo e ficamos nos
beijando... e nos acariciando... e “aconteceu”!
 
 

Depois dele tive mais três parceiros, e sempre tive medo... medo do que eu sou...
 
 
 
Após a minha primeira vez eu entrei dentro do meu quarto e chorei...chorei ....chorei ...chorei... incansavelmente... pois o que eu temia aconteceria e não quis mais me relacionar com nenhum outro homem. Foi quando eu encontrei Jesus realmente... eu já tinha 14 anos e entrei numa igreja local... comecei a freqüentar, e me converti, comecei a minha luta para “mudar”, para me tornar “normal”. Tudo o que
eu queria era esquecer o que eu tinha vivido e esquecer o que eu estava me tornando. 
 
 
 
Quantas e quantas vezes eu me deparava comigo mesmo admirando homens dentro da igreja e caía de bruços no chão, começava a chorar e a orar a Deus pedindo que Ele me curasse e que me libertasse destes “demônios”... eu me sentia tão mal por ser quem sou... me sentia tão inferior a todo mundo que ali estava, me sentia um miserável.
 
 
 
Na minha tentativa de mudar, com dois meses que eu estava na igreja, comecei a namorar uma menina, mas não deu certo, nem mesmo carinho por ela eu não sentia, só queria
mudar... eu achei que ela me mudaria por que ela era uma das meninas mais lindas da igreja... mas não adiantou...
 
 
 
Depois de um mês que eu terminei com ela, outra menina acabara de se mudar pra nossa igreja, pois ela já era cristã... eu já estava no ministério de coreografia e ela entrou neste ministério e começamos a nos conhecer eu achava ela muito interessante pois
era extrovertida muito engraçada ... bem louca da cabeça. Com um mês fomos a um retiro da igreja, ela chegou em mim e disse que gostava de mim e que queria algo como namoro eu aceitei , e começamos a namorar... eu e ela não podíamos nos beijar por um mês simplesmente para podermos ter certeza do que queríamos, eu como queria o mais rápido possível me livrar do que sentia... me deixei levar... não digo que foi ruim ficar ao lado dela... foi até legal, mas eu só sentia amor por ela como amiga - não conseguia sentir mais nada...
 
 
 
Neste retiro em que estávamos encontrei mais amigos meus (homossexuais) que eram de outras igrejas espalhadas pelo estado, todos tentando “mudar”. Com oito meses de namoro tivemos nossa primeira relação sexual... foi algo que não teve sentindo algum pra mim.
 
 
 
Depois que tudo aconteceu fiquei muito feliz, pois era o que eu queria: poder voltar a ser um “homem”! Mas aquilo foi sensação de momento, depois que tudo aconteceu, eu fui embora, e, no outro dia, andando na rua me deparo com um rapaz bonito, me sinto atraído por ele e me desesperei. Pensei comigo mesmo: "Deus, por que estás fazendo isso comigo? Por que eu ainda sou assim? Se a tua Palavra diz que eu não posso entrar no reino dos céus? Por quê, Pai?" ... fui embora, meio que chorando e orando a Deus, pedindo que Ele me ajudasse a me limpar de toda impureza que havia em mim...
 
 

No outro dia eu queria mais sexo com minha namorada para poder me mudar mais rápido... tive mais relações com ela, mas nada mudava... nada mudou eu só me sentia mais atraído por homens... me desesperei, contei ao meu pastor. Pedi que ele me ajudasse, chorei muito e ele disse que me ajudaria... e que eu poderia mudar se assim eu quizesse, pois Deus não tinha feito o homem assim... começamos: oramos, jejuamos, fizemos de tudo...
 
 
 
Enfim, eu comecei a pensar que estava curado depois de muitas sessões eu me sentia realmente um “homem”. Estava tão feliz por ser “normal”. Minha namorada estava ao meu lado... fizemos planos para o casamento... mesmo eu sendo novo, com apenas 15 anos já fazíamos planos para casarmos, pois eu já era ministro de louvor, já tinha passado por todas as áreas da igreja, era líder de GF (grupos familiares ou reuniões nas casas), já tinha sido líder do ministério de coreografia, já tinha sido um bom crente... Eu me preparava pra ser um “homem de Deus”.
 
 
 
Em minha casa tudo ia bem comigo meus pais me elogiavam e diminuíam meus irmãos perante a mim, eu era o maioral...
 
 
 
Depois de dois meses minha namorada teve que ir viajar ...ela iria fazer uns cursos para poder se aperfeiçoar profissionalmente (ela era mais velha que eu dois anos)... ela se foi... e eu fiquei aqui sozinho, esperando ela voltar e a cada telefonema meu coração doía de ver ela tão longe de mim... eu tinha me afastado de tudo que me lembrava homens, que me lembrava de ser homossexual e me afastei de tudo, literalmente: só vivia
da igreja pra casa e de casa pra igreja... foi assim ... mas eu já começava sentir novamente atração por homens e comecei a ficar deprimido. 
 
 
 
Minha namorada longe de mim... ela já queria terminar comigo... e eu também, pois não estava bem nem com ela e nem comigo... confesso pensei que gostasse dela, falo de amor...mas não era verdade... e tudo foi passando....
 
 
 
Nos separamos e eu continuei indo à igreja... mas sempre sentindo que algo estava faltando, que ainda faltava algo importante pra mim e sempre que eu sentia atração por um homem eu negava e dizia “Satanás, afasta-te de mim!”, “não cairei em suas tentações”... mas não conseguia.... porque na verdade não havia demônio nenhum... era somente a naturalidade da minha carne, do meu ser se manifestando ....e eu me negando ao amor... me negando a começar a gostar de alguém.
 
 
 
Por fim, acabei me aceitando... ou melhor comecei uma luta para a minha aceitação, que foi o mais difícil pra mim. Foi uma fase em minha vida na qual eu comecei a ter depressão. Me sentia sozinho, me sentia mal amado, me sentia isolado de tudo
e de todos, só ficava trancado no meu quarto, fechava as janelas e ficava aqui no meu quarto bem escuro chorando e chorando por meses e meses.
 
 
 
Até que, enfim, um dia eu cheguei em casa (estava na rua e sem saber o motivo estava muito mal) e pensei na minha mãe, no que ela diria se soubesse que eu era tudo o que ela mais odiava nesse mundo que eu era “homossexual”... comecei a chorar e chorar e cheguei em casa, passei direto pro meu quarto nem falei nada com ninguém, minha prima viu e percebeu que eu estava chorando e disse pra minha mãe (pois minha mãe estava tão entretida com a novela que nem me viu chegar)... e minha mãe entrou no quarto e foi então que ela percebeu que eu estava realmente mal... ela me perguntou o que estava acontecendo comigo e eu sempre dizia chorando "nada, mãe"...
 
 

"nada..." - ela disse - "então, por que você está chorando?" Eu disse: "nada, mãe, nada" ... Ela começou a discursar a bíblia inteirinha pra me falar do amor de Jesus e muitas e muitas coisas... mesmo assim não consegui falar, pois eu sei o quanto ela é inflexível quanto ao ponto de vista dela e no final de toda a conversa minha mãe disse uma frase de que eu nunca vou me esquecer: “não importa o que aconteça, filho, eu estou e sempre estarei do teu lado!”
 
 
 
E, logo após ela ter saido do meu quarto essas palavras me deram coragem... comecei a escrever uma carta... contando tudo e revelando todos os meus
segredos... sem medo de dizar o que sentia... passei a madrugada toda chorando e escrevendo. No fim de tudo a carta deu duas folhas inteirinhas frente e verso... pedi que Deus me ajudasse a deixei debaixo da porta do quarto da minha mãe.
 
 
 
Era por volta das 4 da manhã. Deitei um pouco, nem dormi, fiquei ali pensando... quando deu 6 horas levantei, tomei banho e fui pra escola... na escola eu só chorava imaginando a reação dela... todos perguntavam o que estava acontecendo e eu nunca dizia nada...
 
 
 
Quando cheguei em casa já cheguei angustiado com vontade de chorar... estava acabado, com os olhos fundos e inchados... logo após minha mãe chegou: ela simplesmente passou por mim e deu uma olhada mortal ... senti tanto medo naquela hora, mas
não sabia se chorava, se corria, se gritava ou se fugia... foi tão ruim... mas com o passar das horas eu fui me acalmando e disse a mim mesmo deve ser só o choque de descobrir que o filho “preferidinho” dela é "gay"...
 
 
 
Tudo foi se transformando na minha vida. No outro dia, que foi quando ela resolveu falar comigo, ela simplesmente disse "eu não aceito, e não quero você nisso de jeito nenhum", e disse que não era pra niguém ficar sabendo, nem mesmo meu pai, nem meus irmãos. Eu consenti.
 
 
 
Ela disse que iria orar e jejuar um mês inteirinho por mim pra saber de Deus o que fazer comigo... (Ô mês de angustia!) Eu já não me sentia mais parte da família, ela não me dava mais carinho, meus irmãos começaram a me tratar mal, tudo era sempre minha culpa... estava terrível...
 
 
 
Logo após o término da oração ela me disse que “iria lutar incansavelmente
contra os demônios na minha vida e que não deixaria que o diabo me levasse com ele pro inferno”. Eu simplesmente chorei... ela saiu e me deixou sozinho, tentei me matar com uma faca... não tive coragem, pois diante de tudo eu sempre me lembrava de Deus e não entendia o por quê daquilo tudo... mais adiante, na semana seguinte, minha mãe chega numa tarde de quinta-feira e me diz: "tome banho que eu vou te levar para o culto!" Ela estava com uma voz de ordem...
 
 
 
Simplesmente eu disse que sim e tomei banho, me arrumei e fui com ela... estávamos eu, ela e minha tia... eu não sabia o que me aguardava. Lá estava eu, diante de mais ou menos 200 pessoas, pastores de outros países, e eu ali...
 
 
 
Quando o pastor perguntou se alguém precisava de oração, minha mãe conversou com ele sobre o meu caso (homossexualidade) e eles começaram a orar pra expulsar os demônios em mim... minha mãe e minha tia dos meus lados, com as mãos em mim como se fossem me segurar na hora em que eu fosse cair... e eles oraram e oraram, gritaram... choraram,
clamaram e muito mais. Cantaram e nada aconteceu... minha mãe ficou furiosa comigo com tudo isso... depois que sai de lá nada havia mudado, nada havia acontecido e ela ficou muito brava e chateada comigo. Me disse que eu não queria “mudar”. Viemos pra casa e mais uma noite de choro da minha parte...
 
 

Depois de dois meses, eu dei um pontapé inicial para o meu pai saber, pois ela não deixava que eu contasse alegando que ela não suportaria isso. Eu falei pra ele que precisava conversar sério com ele e ele disse que logo logo estaria de volta e perguntou o que era. Eu disse que minha mãe já sabia... ele perguntou pra minha mãe ela teve que dizer... resultado: ele foi embora de casa...
 
 
 
Todos ficaram de mal comigo, ninguém aqui em casa falava comigo... Nem me davam bola... Eu procurava ser gentil com todos, mas nada adiantou... Eles sempre do mesmo jeito. Depois de um mês que meu pai havia saído ele voltou e não falava mais comigo, nem sequer olhava no meu rosto... Foi quando eu decidi que não sofreria mais por eles, que se eles não me amassem existiria alguém nesse mundo que me amaria... eu pensava
comigo: "agora só preciso saber quem é que me ama...que me ama mais que meus pais..." e lembrei da passagem bíblica que diz: “Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.  (Isaías 49.15)
 
 
 
Me confortou um pouco, mas na hora nem me alegrei muito - fiquei quieto... com isso, me tiraram tudo o que eu tinha: computador, celular (era fiscalizado), eu não podia sair: somente da escola pra casa... e nada mais... e eles até hoje nada de me aceitar...hoje já conquistei mais um pouco de espaço em minha casa... mas ainda não me aceitam. Porém eu creio que logo logo estarei mais amigo dos meus pais do que antes. Em uma coisa eu nunca deixei de crer... que Deus me ama como eu sou... que Ele me ama como Ele me fez...
 
 
 
Por isso hoje eu estou em uma igreja voltando às obras... Não uma igreja onde aceitam homossexuais (pois não existe em minha cidade), mas estou em uma igreja... voltando aos caminhos do Senhor Jesus Cristo Amado da minh'alma.

Mantenho contato sempre com a Igreja Progressista de Cristo e visito sempre o site. Recomendo que olhem a seção "Bíblia e sexualidade" que ajuda a tirar muitas dúvidas sobre essa questão.
 
 
 
Não deixe as adversidades te frustrarem não, amado. O Senhor Jesus tem mais pra mim e pra ti... tudo o que estamos passando hoje tem um propósito, nós somos especiais e somos de Deus.
 
 
 
Apenas permaneça n'Ele.
 

Com carinho,

Alexandre - Tocantins

 
   
Advertisement  
   
=> Do you also want a homepage for free? Then click here! <=